Dez trabalhos acadêmicos são premiados em diferentes categorias

Milena Flor Tomé (foto), estudante de Jornalismo de Tubarão, levou dois prêmios e considera que o Comunisul está se consolidando como evento

No último dia da terceira edição do Comunisul foi a vez de premiar os trabalhos acadêmicos inscritos em dez categorias. A noite final do evento também contou com atração musical, mostra de trabalhos audiovisuais, palestra “Momento RH” e sorteio de brindes – incluindo vouchers com 50% de desconto em curso de inglês.

A acadêmica Milena Flor Tomé, do curso de jornalismo da Unisul de Tubarão venceu em duas categorias: Produção de jornalismo digital, com o trabalho “O cantinho de celeste” e produção audiovisual (na subcategoria mais de um minuto), com o trabalho “Traficantes de poesia”, em parceria com o estudante Vinícius Pacheco. Milena também venceu categorias audiovisuais nas duas outras edições do Comunisul e percebeu que neste ano o evento ganhou força. “Participei nos outros anos porque sempre tive amigos que estudavam aqui e me falavam, mas agora está ficando mais popular e já é comum os professores de Tubarão falarem do Comunisul”.

Para a categoria produção audiovisual, Milena conhecia o excelente nível de qualidade dos trabalhos, mas afirmou que ela e sua dupla, Vinícius, estavam confiantes. A grande surpresa para ela foi a vitória na categoria produção de jornalismo digital: “Sei que o curso aqui na Pedra Branca é mais voltado para as novas mídias, enquanto em Tubarão percebo que é mais ‘padrãozinho’. Pesquisei muita informação para fazer o ‘O cantinho de celeste’ e pude contar com o meu professor, que sempre busca experiências novas em sala de aula.”

O documentário vencedor, “Traficantes de poesia”, falou sobre o Rap e como o ritmo faz parte da cultura do povo na periferia. Milena disse que o maior desafio para gravar foi a falta de equipamentos e a burocracia para consegui-los: “Nós tivemos que adaptar bastante coisa, mas tivemos força de vontade pra gravar, então foi tranquilo ir nas comunidades e conversar com as pessoas. O maior desafio foi falta de equipamento mesmo”.

A categoria de audiovisual foi dividida em duas subcategorias: mais de um minuto e até um minuto. Essa última premiou o estudante Álvaro Veríssimo, com o curta metragem “Memórias”. “Procurei passar uma mensagem de superação de um relacionamento, que é um processo pelo qual todos passam, então acabou sendo fácil se conectar com as pessoas. Foi baseado num processo que realmente aconteceu”, relatou. Álvaro falou sobre o nível da disputa: “Não esperava ganhar, sabia que era uma galera boa disputando e que ia ter trabalhos de qualidade. Considero o prêmio como um reconhecimento legal dentro da universidade e que mostra a qualidade do meu trabalho também”.

Milena Roscioli e Gabriela Ferrarez foram premiadas na categoria “Podcast”, por um trabalho desenvolvido durante o estágio da faculdade: “É muito bacana ter vencido porque fizemos o podcast dentro do estágio obrigatório. Gabriela inscreveu o trabalho e não contou para a sua dupla: “soube que estávamos inscritas um dia antes da premiação, mas fiquei bem animada quando soube”, contou Milena. “Foi bem emocionante gravar esse podcast porque a história da entrevistada, a jornalista Gabriela Coelho, é muito inspiradora. Ela trabalha em um portal que cobre as comunidades periféricas de forma diferente do convencional e como a pauta da semana era a violência urbana, nossa decisão de entrevista-la deu um resultado bem legal”, explicou.

Esta edição do Comunisul deixa um legado de motivação para que sejam construídos trabalhos com cada vez mais dedicação. Foram dias de trocas de experiências entre profissionais e estudantes de comunicação, em um evento que possibilitou que os alunos do sexto ciclo trabalhassem na organização, colocando os conhecimentos em prática.

Deixe uma resposta